O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

​A luta continua

01 mar, 2018 • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


O Presidente da República tem sido decisivo a impulsionar a causa dos sem abrigo.

“A luta continua, a luta pela causa dos sem abrigo continuará até ao momento em que não haja necessidade de enfrentar uma situação tão dramática, tão injusta”. Estas palavras foram ditas pelo Presidente da República, há dois dias, no primeiro Encontro Nacional dos Núcleos de Planeamento e Intervenção de Sem Abrigo, promovido pelo Instituto de Segurança Nacional.

O empenhamento pessoal do Presidente Marcelo nesta causa tem sido decisivo, envolvendo naturalmente o Governo, a Administração Pública e inúmeros voluntários. É um empenhamento genuíno de uma pessoa que, ao longo da vida, tem manifestado verdadeiro interesse pelos outros, nomeadamente pessoas doentes e pessoas em situação de pobreza. Não se trata, assim, de uma mera manifestação de simpatia pelos desvalidos para ganhar popularidade. Marcelo já tem popularidade que chegue e ainda bem, porque essa popularidade lhe dá força política para fazer andar as coisas, algo que a burocracia portuguesa tantas vezes trava.

O drama dos sem abrigo não é nada fácil de resolver. Não basta, longe disso, encontrar-lhes um abrigo, uma casa onde viver. Envolve difíceis questões de saúde, física e mental, problemas de emprego, etc. Como bem sabem os milhares de voluntários que diariamente apoiam quem vive na rua, por vezes é complicado convencer um sem abrigo a trocar a rua por uma habitação normal.

O Presidente da República classificou aquele primeiro Encontro como “um ponto de arranque e um caminho que desejaríamos com fim à vista em 2023. Se assim for, é sinal de que conseguimos cumprir a meta. Se assim não for, porque houve uma crise que não esperávamos, ou uma dificuldade, aí a nossa luta continua”. E garantiu, mesmo, que o “cidadão Marcelo” continuará a bater-se por esta causa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alfredo
    01 mar, 2018 Lisboa 14:47
    Um artigo mais que hipócrita e cínico acerca de uma classe de cidadãos que em nada diz respeito a Sarsfield Cabral.Por outro lado, Marcello,usa os «sem abrigo» para fazer campanha mediática à sua imagem como presidente. Basta ver que, numa das vezes em que saiu para ajudar o «sem abrigo» (e sendo filmado), Marcello mostrou repugnância em falar com um «sem abrigo» que chamava de ladrões à classe política. Por isso, se Sarsfield Cabral vem aqui hoje falar sobre os «sem abrigo», através do seu presidente, é por pura demagogia.
  • Bico
    01 mar, 2018 Lisboa 11:07
    Apesar das sondagens o PR e António Costa que andam de mãos dadas colaborando brandamente vao ter contra todos os proprietários pela medidas quase de terrorismo de estado da lei imperfeita 124/2006 de há 12 anos.Os aspetos negativos só aplicáveis em ditaduras?deveriam serem repensados.António costa disse no parlamento em 28-2 -2018 que a lei nos aspetos mesmo negativoas era para aplicar.Contra tem juntas freguesias,camaras e proprietários.Portanto a espetativa de maioria absoluta foi-se.Proximo governo será de bloco central como Alemanha ou das esquerdas unidas.Nenhum partido tem neste momento ou futuro hipótese de maioria absoluta.