O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Diogo Piçarra acusado de plagiar cântico evangélico. Ouça, compare e avalie

26 fev, 2018


Em causa as semelhanças entre “Canção do Fim”, a canção vencedora da segunda semifinal do Festival da Canção, e “Abre os Meus Olhos”, uma adaptação brasileira de um tema evangélico dos anos 70.

"Canção do Fim", a canção composta e interpretada por Diogo Piçarra para o Festival da Canção, está a ser alvo de acusações de plágio, devido às alegadas semelhanças com um cântico evangélico, “Abre os Meus Olhos”.

As comparações surgiram nas redes sociais, ainda antes de o músico a cantar na segunda semifinal do concurso da RTP.

Esta música, no entanto, também não é um original da Igreja Universal do Reino de Deus. “Abre os Meus Olhos” é uma adaptação da música “Open our Eyes”, composta em 1976 pelo pastor norte-americano Bob Cull e cantada por diversos grupos religiosos em todo o mundo. Os The Maranatha! Singers, por exemplo, gravaram a canção em 1999.

A versão mais partilhada nas redes sociais é do pastor Walter McAlister, atualmente bispo da Igreja Cristã Nova Vida, uma igreja pentecostal brasileira. Foi nesta igreja que cresceu o bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

Oiça e compare as canções.

Este Domingo, “Canção do Fim” obteve a pontuação máxima do júri do Festival da Canção e do público.

A votação final foi feita, em igual valor, por um júri e pelo público. O júri do Festival da Canção é presidido por Júlio Isidro. A acompanhar o apresentador estiveram os cantores Ana Bacalhau, Carlão, Luísa Sobral e Sara Tavares, a radialista Ana Markl, o jornalista Mário Lopes e os compositores Tozé Brito e António Avelar Pinho.

O regulamento do festival diz que as canções concorrentes "deverão ser obrigatoriamente originais e inéditas, não podendo ter sido reproduzidas, publicadas, editadas, interpretadas, executadas, exibidas, difundidas, distribuídas ou comercializadas por qualquer forma anteriormente".

Em caso de plágio, segundo o regulamento, as músicas em causa serão desclassificadas.

Diogo Piçarra "de consciência tranquila"

Diogo Piçarra já reagiu à polémica na sua página do Facebook. O artista diz estar “de consciência tranquila”.

“Sou quem está mais surpreendido no meio disto tudo: nasci em 1990, não sou crente nem religioso, e agora descobrir que uma música evangélica de 1979 da Igreja Universal do Reino de Deus se assemelha a algo que tu criaste, é algo espantoso e no mínimo irónico. Desconhecia por completo o tema”.

O músico garante que continuará a defender a sua canção, "por acreditar que foi criada sem segundas intenções". "É engraçado como a vida tem destas coisas, coincidência divina ou não, e perceber que a Internet é o verdadeiro juiz dos tempos modernos. Aclama mas também destrói."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Virgilio Peres
    27 fev, 2018 Povoa do Varzim 00:38
    A musica original é open ours eyes , a fraude hoje intitula-se open ours years ! As coincidências existem entre o pseudo cantador de sonhos e um outro agora que pensou que os portugueses ainda estavam a sonhar em Sobral do Monte Agraço . Como diria um outro ilustre português obviamente admitia ... Queres ser grande tem fé e acredita , serás crucificado ! Mas não renascerás na glória , apesar de ser a QUARESMA .
  • David Castro
    26 fev, 2018 Porto 19:59
    Muito semelhante sem dúvida...
  • maria isabel
    26 fev, 2018 19:46
    Igualzinha sem tira da r nem pôr! Até com coincidências curiosas da pp letra!
  • americo
    26 fev, 2018 queluz 19:30
    foi vergonhosa a interpretaçao do picçarro horrivel,se quer cantar para a migos em barezinhos que cante,nao brinquem com quem quer estar na musica,festival nao e isto,sem cor sem brilho,ja cantam so sentados,a cançao nr 11 foi por demais a melhor interpretaçao das 2 eliminatorias,tem uma acustica muito melodiosa sem ser discreta e uma voz de alto gabarito,que votem todos na cançao nr 11
  • Etelvina Teixeira
    26 fev, 2018 Porto 18:49
    Infezlismente as coincidências existem...a palavra já diz tudo.Pouca sorte para o. Diogo se for o caso.Deviam ver isso antes.
  • José Cardoso
    26 fev, 2018 . João da Madeira 18:03
    Uma excelente composição e uma excelente interpretação. Para mim, será a canção vencedora do Festival, Por coincidência, as semelhanças são evidentes. Pessoalmente, lamento se a canção for desclassificada por plágio comprovado. As regras são para se cumprir. Força Digo!
  • José Pereira
    26 fev, 2018 Loures 16:31
    É por demais evidente as semelhanças. A música deve ser afastada da final!
  • Couto Jorge
    26 fev, 2018 Marco canaveses 16:09
    Não concordo !!!! Mais uma grande canção! Força puto... força Diogo. .. força portugal...! Twelve points !!!!