O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Sono infantil - 26/02/2018
O Mundo em Três Dimensões - Sono infantil - 26/02/2018
O Mundo em Três Dimensões

10 horas. Crianças portuguesas dormem o mínimo recomendado pelos especialistas

26 fev, 2018 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Estudo da Sociedade Portuguesa de Pediatria conclui que as crianças portuguesas dormem - em média - 10 horas e seis minutos por dia. O ideal são entre 10 e 13 horas.

Se tem filhos ou netos em idade pré-escolar, isto pode interessar-lhe: as crianças portuguesas em idade pré-escolar dormem, em média 10 horas e seis minutos.

Noutros países europeus, é mais uma hora. 11, em média.

É o que revela um estudo da Sociedade Portuguesa de Pediatria.

Nesta faixa etária do pré-escolar, o ideal é dormir entre 10 e 13 horas por dia: 10 a 11 de sono noturno. Uma a três na sesta, normalmente depois do almoço.

E se os seus filhos ou netos têm menos de cinco anos, talvez seja aconselhável convencê-los a parar umas horinhas durante a tarde.

A sesta continua a ser aconselhável até essa idade. Contudo, a prática da sesta costuma ser abandonada por volta dos três anos nos estabelecimentos públicos do pré-escolar.

Demasiado cedo, alertam os especialistas, que até já emitiram um parecer dando conta das consequências negativas do abandono da sesta de forma tão precoce. É que, no futuro, isso pode trazer perturbações do sono difíceis de corrigir.

Por isso atenção, porque os investigadores indicam que em Portugal, por cada três crianças com três anos, há uma que salta a sesta da tarde.

Aos quatro anos, só uma em cada três faz este intervalo. E aos cinco anos, apenas uma em cada 12.

Depois dois oito anos, a sesta regular praticamente desaparece da rotina das crianças.

E, mesmo aí, às vezes faz falta.

A questão é em que altura suprimir este período de descanso a meio do dia?

Esteja atento (ou atenta) a estes sinais: o primeiro deles, a resistência à sesta. O outro são as sestas demasiado curtas.

Ou então à noite, quando não têm sono, ou quando acordam a meio da madrugada ou então quando querem começar o dia ali por volta das seus ou seis e meia da manhã, quando a vontade dos pais é ficar mais um bocado na cama a descansar. Se dá jeito à semana, ao sábado e ao domingo a história é diferente.

Faça as contas ao período ativo da sua criança. Se ele ou ela conseguir passar pelo menos até 18 horas sem dormir ou sem ficar demasiado rabugenta, é possível que já esteja crescidinha o suficiente para deixar de dormir a sesta.

Mas lembre-se que o descanso a meio do dia é importante para as crianças. Às vezes nem é preciso dormir. Basta ir a um sítio mais calmo, contemplar a Natureza, meditar, ouvir uma história.

Seja imaginativo.

E não se esqueça de ter a necessária paciência.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.