Opinião de José Luís Nunes Martins
A+ / A-

As dores que despertam

09 fev, 2018 • Opinião de José Luís Nunes Martins


Certos sofrimentos trazem o dom de nos revelarmos a nós mesmos como mais fortes.

Há dores que nos fazem perder o sorriso, mas também nos secam as lágrimas, de tão profundas que são. A vida é dura, quase injusta. Chegam a ser incompreensíveis as tantas adversidades contra as quais estamos obrigados a lutar pela sobrevivência do que somos.

Há pessoas que se conseguem manter puras, apesar de terem de passar por vales tenebrosos. Guardam-se na esperança de que, mais adiante, haverá espaço e tempo para continuarem a ser quem são. Uma fé que é força. Uma bondade que é paciência. Um amor, não pelo que são, mas por aqueles a quem dão a sua vida.

Certos sofrimentos trazem o dom de nos revelarmos a nós mesmos como mais fortes. Despem-nos de todo o lixo que tantas vezes julgamos ser riqueza, proteção e beleza. O que fica? O que somos e podemos ser, o que persiste e resiste face à tempestade. Não é algo que a sociedade considere digno de contemplar, pois que a verdade crua é sempre algo em que é difícil fixar o olhar.

Há mudanças na vida, mais ou menos súbitas, que nos parecem tragédias, mas que depois se revelam como o exato ponto de partida de uma enorme aventura. Sim, quase sempre as longas viagens passam pelo menos um grande deserto árido.

O amor é a poesia da vida. Que cada um de nós se faça poema. Há instantes mais valiosos do que coroas de reis… são aqueles em que, de forma simples, chegamos a ser quem somos. Apesar das dores, por causa das dores ou para vencer as dores.

Podemos ser as asas invisíveis que outros sentem a elevá-los quando são amados.

Da janela que das trevas se abre para a luz pode contemplar-se uma beleza que parece resolver todos os problemas e mistérios da existência. Demora a encontrar. A escuridão tenta ocultá-la. Está no alto. É preciso construir uma escada e depois subi-la…

Pode a existência ter um sentido que não somos capazes de compreender? Sim. A inteligência humana é limitada sendo capaz de ter consciência da verdade de outras dimensões que ultrapassam o seu entendimento.

As asas que sinto ter, e aquelas que quase oiço à minha volta, dão-me a estranha certeza de que algo não deixa de ser verdade apenas porque não tenho provas.

Este mundo não é o todo. No entanto é nele que somos chamados a viver, a amar e a aceitar ser amados.

A vida quer viver. Sempre.

Desgraçado de quem julga que a vida é sua, que a verdade é determinada pela sua liberdade e que este mundo é tudo o que há.

O amor costuma despertar-nos com dores que animam.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vera
    14 fev, 2018 Palmela 05:18
    Tem toda a razão! as dores que não são nossas, mas que também nos pertencem, são as mais duras de suportar! sofrer na 'pele', não é o mesmo que sofrer na alma... até nos podem acabar com a vida, mas a alma leva a dor com ela, essa não se consegue apagar! Já passaram 2000 anos e a dor de Jesus, ficou entre nós, para entendermos certas coisas... é por isso, que suportamos aquilo que for preciso.
  • ronaldo
    10 fev, 2018 Lisboa 14:42
    Certos sofrimentos deixarão de existir com a Eutanásia.Um individuo tem uma dor, depressao,cancro,avc ,tuberculose,sida,cega,fica surdo,tem enfarte ou mais de 70 anos ,fácil de resolver vai para a cuba da eutanásia e assunto resolvido.Com esta visão da sociedade não haverá ultimo para fechar a porta.
  • MASQUEGRACINHA
    09 fev, 2018 TERRADOMEIO 16:22
    Toc-toc, está alguém aí? Hoje isto está (ainda mais do que de costume) em modo escrita automática... em piloto automático. Li tudinho, e suspeito que foi escrito por robô com mania de inteligente... Portanto, no comment, à espera de melhores dias.