O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

A+ / A-

Das novelas para os palcos, Marcos Caruso em Portugal


Lisboa, Porto, Coimbra, Famalicão, Braga e Águeda recebem esta peça aclamada internacionalmente

“O Escândalo Philippe Dussaert” traz a Portugal um grande ator numa peça cheia de humor… e prémios.

Esta é a história de “um conferencista que divide com o público a investigação do escândalo que envolveu o pintor francês, Philippe Dussaert”.

No desenrolar do monólogo, Marcos Caruso reflete sobre o que é e não é a arte, as controvérsias que se podem gerar em relação aos limites da arte contemporânea, os grandes e pequenos escândalos que invadem o nosso quotidiano.

Aclamada internacionalmente, esta é uma peça do francês Jacques Mougenot que traz a Portugal um dos atores mais respeitados e premiados do Brasil.

Com mais de 40 anos de carreira, é fácil reconhecer Marcos Caruso de inúmeras novelas da Globo. Mas para além de a0tor, Caruso é também diretor e autor de espetáculos de grande sucesso na história do teatro brasileiro.

“O Escândalo Philippe Dussaert” estreia em Portugal com a Renascença e vai passar por Lisboa, Porto, Coimbra, Famalicão, Braga e Águeda.


Informações:

Casino Lisboa - Auditório dos Oceanos, Lisboa, de 07 a 25 de Fevereiro

Teatro Sá da Bandeira, Porto, de 01 a 04 de Março

Convento S. Francisco, Coimbra, 06 de Março

Casa das Artes, Vila Nova Famalicão, de 08 a 11 de Março

Theatro Circo, Braga, de 15 a 18 de Março

Centro de Artes, Águeda, 23 e 24 de Março

Bilhetes

Nas bilheteiras dos Teatros, www.bol.pt, www.ticketline.pt e nos locais habituais.

Preços: a partir de 15,00€

M/12 - Classificação etária

Para mais informações:

carolinamayer@naughtyboys.pt

T. 911099357

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.