A+ / A-
O Mundo em Três Dimensões

214%. Tribunais portugueses são os mais congestionados da UE

15 jan, 2018 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


De acordo com o portal Pordata Europa, em 2015, a sobrecarga de acções de cobranças de dívidas foi a principal causa deste congestionamento dos tribunais portugueses. Só que nesse mesmo ano, a justiça portuguesa apresentou uma taxa de resolução processual em primeira instância de 124%. Também aqui, o valor mais elevado da UE.
O Mundo em Três Dimensões - Justiça - 15/01/2018
O Mundo em Três Dimensões - Justiça - 15/01/2018

O senso popular diz que a justiça pode tardar mas não falha.

Mas enquanto a justiça tarda, há vidas em suspenso. E em Portugal, a situação é particularmente complicada. Se existe uma certa ideia percepcionada de que a justiça é lenta, os números parecem desfazer as dúvidas.

De acordo com o portal Pordata Europa, os tribunais portugueses são mesmo os mais congestionados de toda a União Europeia, sobretudo pela sobrecarga de acções de cobranças de dívidas.

Os dados estatísticos são de 2015: a taxa de congestionamento é de 214%, a mais alta do conjunto dos 28. Mais do dobro da Grécia.

Só que, curiosamente, nesse mesmo ano de 2015 os tribunais portugueses foram também os que apresentaram a taxa mais elevada de resolução de processos em primeira instância (124%), seguidos dos eslovenos e romenos.

Mas há mais: em cada três arguidos em Portugal, dois são considerados culpados.

E os estabelecimentos prisionais apresentam uma das maiores taxas de ocupação. 112%. Mais do que Portugal, só mesmo a Hungria com uma taxa de ocupação das prisões de 127%.

Já alguma vez pensou quem manda na justiça portuguesa?

Há mais homens ou mulheres no sistema?

Bem, segundo estes dados de 2015, Portugal tem cerca de 1.800 magistrados.

1.053 são mulheres.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bento Fidalgo
    15 jan, 2018 Agualva 12:12
    Infelizmente temos leis avançadas para mentalidades n~ao condizentes. Se os servicos de agua, luz, telefone, tv e renda de casa tivessem Cauc~oes de 3 meses entao ao segundo m^es era retirado o servico ou recebidos os 2 meses em falta. Nas rendas de casa, alem da caucao, seriam também, os arrendatarios, responsaveis por obras a fazer nas casas, quando da saida. Assim se evitariam milhares e milhares d de processos em tribunal. Mas como interessa aos que querem ver prescritos os seus processos, os srs/as especiais de corrida, ha que manter o sistema da lei mafiosa para os mafiosos.
  • Fernando
    15 jan, 2018 Braga 11:39
    A máquina burocrática a funcionar em pleno...Dá jeito...Que o digam alguns...
  • tuga
    15 jan, 2018 Lisboa 11:35
    Sem um ministério da justiça, esperavam o quê???? aquilo é tudo um faz de conta.
  • Gustavo
    15 jan, 2018 Dantes 09:58
    Acho que a inteligência que escreveu este artigo deveria candidatar-se a um pémio Nobel!!