O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Nota de Abertura
A+ / A-

​ 1º Dia Mundial dos Pobres

17 nov, 2017 • Opinião de Nota de Abertura


"A pobreza tem o rosto de mulheres, homens e crianças explorados para vis interesses, espezinhados pelas lógicas perversas do poder e do dinheiro". lembra o Papa.

A Igreja celebra no próximo Domingo, dia 19 de novembro, o 1º Dia Mundial dos Pobres.

A mensagem do Papa Francisco para este dia, é clara na análise que faz à realidade da pobreza, no mundo: «(…) A pobreza tem o rosto de mulheres, homens e crianças explorados para vis interesses, espezinhados pelas lógicas perversas do poder e do dinheiro. Como é impiedoso e nunca completo o elenco que se é constrangido a elaborar à vista da pobreza, fruto da injustiça social, da miséria moral, da avidez de poucos e da indiferença generalizada! (…) »

Mas para além da clareza do diagnóstico, o Papa é exigente no compromisso a que todos somos diariamente chamados.

«(…) Não pensemos nos pobres apenas como destinatários duma boa obra de voluntariado, que se pratica uma vez por semana, ou, menos ainda, de gestos improvisados de boa vontade para pôr a consciência em paz. Estas experiências, embora válidas e úteis a fim de sensibilizar para as necessidades de tantos irmãos e para as injustiças que frequentemente são a sua causa, deveriam abrir a um verdadeiro encontro com os pobres e dar lugar a uma partilha que se torne estilo de vida. (…)»

E este estilo de vida, implica tal como o Papa sublinha, o saber dar sem nada pedir em troca, sem os “ses”, nem os “mas”, nem os “talvez”.

Em Portugal, o drama dos incêndios aumentou de uma forma trágica, o número dos pobres, entendendo-se aqui, a condição de quem perde tudo de um dia para o outro. É urgente uma vontade pessoal e comunitária, de passar das palavras às obras.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.