O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
Espaço do Consumidor
Um espaço para responder a todas as dúvidas dos consumidores (terças e quintas, depois das 14h30)
A+ / A-
Arquivo
Espaço do Consumidor

Optei pelo IRS automático e agora tenho de pagar. O que fazer?

13 jul, 2017 • Fátima Casanova


O IRS automático foi uma opção disponibilizada este ano pelo fisco, mas há contribuintes que estão agora a ser surpreendidos por notas de liquidação com valores elevados.

Apenas os contribuintes sem dependentes e com situações fiscais mais simples, como os pensionistas e os contribuintes com rendimentos exclusivos do trabalho dependente podiam optar pela entrega automática do IRS.

Mas essa opção parece estar a revelar-se uma armadilha para alguns, surpreendidos pela Autoridade Tributária para acertarem as contas e com notas de liquidação de valor elevado para o seu rendimento.

Até ao final desde mês (Julho), o fisco vai contactar os contribuintes indicando, por carta, os dados relativos aos acertos do IRS e se o contribuinte vai ser reembolsado ou se vai ter de pagar.

O que se pode fazer quem for surpreendido por um montante elevado?

- No prazo de 30 dias, pode ir ao portal das Finanças e preencher uma declaração de substituição. Ao mesmo tempo tem de pagar o valor apurado pela Autoridade Tributária e que está escrito na nota de liquidação.

- Pode optar por dirigir-se à repartição de Finanças, o quanto antes, para expor a situação. Tratando-se de erro da Autoridade Tributária, as Finanças podem anular a nota de liquidação, enquanto dá entrada a declaração de substituição para regularizar a situação.

- No serviço de Finanças, peça também a anulação da declaração de IRS anterior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • indignado
    15 jul, 2017 Setúbal 00:03
    Já agora vão reclamar e se lhes chamarem gatunos não dizem asneira nenhuma e peçam também a reposição das 40 horas de trabalho como os restantes portugueses que produzem a riqueza nacional e trabalham no privado.
  • Um lugar ao sul...
    14 jul, 2017 sul 22:43
    Está de se ver, juntamente com os valores cativos ... quem pode confiar no estado, são todos uma farsa...
  • Fausto
    13 jul, 2017 Lisboa 19:46
    Finanças...a asfixia do costume...
  • Jorge
    13 jul, 2017 Algarve 19:03
    Quando "fui entregar - pela net -" o meu IRS, também me apareceu a "alternativa" de aceitar a "declaração pré-preenchida"! Decidi ... verificar a tal "pré-preenchida" e, sem dificuldade, percebi que (muitas) despesas "dedutíveis" ... não constavam! Nada que me tenha apanhado de surpresa, porque (só não sabe quem não quer) o nosso Estado é o MAIOR gatuno Nacional! Optei por ... "preencher a minha Declaração" e ... feitas as contas ... "poupei" mais de 1.000 euros! Confiar no Estado é uma INGENUIDADE! Lamentavelmente, esta é a VERDADE!
  • carlos gonsalves
    13 jul, 2017 estoril 18:46
    E as pessoas com poucas posses vão pagar como, vão presas ou vao ser penhoradas? Tratando-se de um erro informático das finanças é assim que se resolve, têm que pagar requerer e depois ainda vamos ver como é? Onde vai parar este País com erros sucessivos das Finanças?