O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Hora da Verdade
Uma parceria entre a Renascença e o jornal “Público”. Entrevistas aos protagonistas da actualidade. Quinta às 12h
A+ / A-
Arquivo
Hora da Verdade - Marinho e Pinto - 18/01/2018
Hora da Verdade - Marinho e Pinto - 18/01/2018
Hora da Verdade

Entrevista a Marinho e Pinto

18 jan, 2018


O ex-vice-presidente de Angola deveria ser julgado em Angola, defende António Marinho e Pinto em entrevista à Renascença e ao “Público”. O ex-bastonário dos advogados e actual eurodeputado elogia a procuradora-geral da República e defende a sua saída em Outubro, no final do mandato. Quanto ao pacto da justiça, carimba-o como “corporativo”. Sobre si próprio, diz: "Estou no meu limite, somos como os iogurtes, temos também um prazo de validade. E penso que o meu prazo está a chegar ao fim."
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.