|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Saúde

Rui Rio: "Há dinheiro para os magistrados e não há para os médicos, que ganham menos?"

30 nov, 2019 - 19:37

Presidente do PSD não acredita que o Governo consiga evitar a emigração de médicos portugueses. "O Serviço Nacional de Saúde está longe de ser gerido como devia", garante.

A+ / A-

O presidente do PSD defendeu este sábado, em Aveiro, que o Governo dificilmente evitará a tendência crescente para os médicos portugueses emigrarem, enquanto não aplicar a esses profissionais os mesmos aumentos remuneratórios de que beneficiaram os magistrados, já salarialmente favorecidos.

À margem de um encontro com militantes e dirigentes do distrito de Aveiro, Rui Rio referiu que "o Serviço Nacional de Saúde [SNS] está longe de ser gerido como devia", e que "muitas vezes o PS atira dinheiro para cima dos problemas", sem, contudo, "otimizar os recursos disponíveis".

Para o líder parlamentar do PSD e recandidato à presidência do partido nas eleições internas de 11 de janeiro, "a questão dos médicos - e, em parte, dos enfermeiros também - tem a ver efetivamente com as condições de trabalho", o que passa muito pela remuneração salarial, "mas não só".

Rui Rio defende que o SNS vem registando "uma degradação brutal" e que "é completamente diferente um médico trabalhar num hospital bem equipado e organizado ou trabalhar num hospital que é uma barafunda total e onde faltam coisas", mas reconhece que as diferenças no tratamento salarial de diferentes classes da função pública também pesam na insatisfação do meio clínico.

Relacionando o exemplo dos médicos com o dos magistrados judiciais e do Ministério Público, o líder social-democrata explica: "O Governo está numa posição difícil para agora chegar aos médicos e dizer que não há dinheiro [para aumentos salariais]. Há dinheiro para os que já ganham mais e não há para os que ganham menos?".

Argumentando que a gestão da problemática salarial da função pública tem de ser tratada "de forma justa e equilibrada", Rui Rio critica: "O que este Governo e o anterior fizeram foi aumentar de forma forte os magistrados, que já ganhavam mais do que todas as demais carreiras, e agora ainda vieram ganhar mais".

O presidente do PSD reprova ainda que esse aumento remuneratório se verifique com recurso "a um subsídio que nem sequer IRS paga", o que representa para os magistrados um benefício fiscal que mais "ninguém tem".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • zaico uchiha
    01 dez, 2019 11:24
    A frente de batalha mudou, as armas são diferentes mas a luta continua, hoje são os magistrados os generais, só a eles e a mais ninguém as regalias a que têm direito, médicos professores forças de segurança etc exijam mas não se comparem aos magistrados pois não têm comparação.
  • 30 nov, 2019 21:48
    Alguém se lembra, ainda, do meu reparo há 2/3 dias no que ao SNS diz respeito? Pois é, reparem bem na FOTO e vejam como " ELE " é quase SEMPRE o MESMO. É caso para dizer ( SIGA A FARRA), porque o músico é o mesmo. Quanto ao IRS, espero que o DITO ainda não tenha sido ABSOLVIDO " BEM PREGA FREI TOMÁS ".